ECONOMIA

Governo pode liberar 63 Bilhões do FGTS e PIS/Pasep

Liberação vai atingir quem está trabalhando e percentual de retirada vai variar de acordo com o valor que o profissional tem no fundo

17/07/2019 12h08
Por: Felícia Bonatti
Fonte: Gazeta Online

O governo federal deve permitir que os trabalhadores saquem até 35% do saldo das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O resgate vai atingir profissionais que atuam de carteira assinada e que estão empregados. As informações são do jornal Estado de S. Paulo. A possibilidade já havia sido cogitada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, no final de maio. 

O percentual autorizado para saque vai depender do valor que a pessoa tem em sua conta. Os cotistas com até R$ 5 mil no fundo poderão pegar 35%; trabalhadores com saldo de até R$ 5 mil terão o resgate máximo de 30%. Já aqueles que tem acima de R$ 50 mil vão poder resgatar apenas 10%.

Como a medida ainda está em estudo, o Ministério da Economia ainda vai definir qual parcela terá direito quem tem entre R$ 10 mil e R$ 50 mil no FGTS.

Existe a possibilidade de o governo anunciar ainda nesta quinta-feira o pacote que visa a animar a economia.

O calendário de liberação poderá ocorrer a partir da data de aniversário, assim como foi feito nas contas inativas. Os trabalhadores que já fizeram aniversário este ano terão direito ao benefício assim que for autorizado, segundo o Estadão.

Saque de trabalhador demitido poderá ser limitado 

Uma outra mudança em avaliação é limitar o saque do FGTS de quem é demitido sem justa causa. Hoje, o trabalhador dispensado nessas condições resgata 100% do recurso mais a multa dos 40%.

Limitar ou até mesmo impedir o saque nessa condição é uma ideia que está sendo discutida. Por outro lado, o governo passaria permitir que todo ano seja possível resgatar uma parcela do fundo no mês de aniversário do trabalhador.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários