Festa Junina

Festa junina à maranhense: conheça a tradição do bumba meu boi

Em São Luís, quadrilha dá lugar a encenações folclóricas; mês é ótimo também para visitar os Lençóis Maranhenses

09/06/2019 21h59
Por:
Fonte: Estadão
Apresentação de bumba meu boi em São Luís, Maranhão Foto: Roberto Castro/MTur
Apresentação de bumba meu boi em São Luís, Maranhão Foto: Roberto Castro/MTur

Esqueça a paçoca em formato de rolha e a quadrilha com casamento do noivo e da noiva. Substitua o emblemático “olha a cobra/ é mentira” por “foi em uma noite estrelada de São João / que eu encontrei meu boizinho encantado”. Pronto: você chegou à festa junina de São Luís, que este ano ocorre, oficialmente, de 15 de junho a 1.º de julho. A capital maranhense não segue exatamente o roteiro das celebrações que estamos acostumados por aqui. Começando pelo básico: a estrela, ali, é o boi.

Não qualquer boi: o bumba meu boi, cuja lenda, estima-se, venha lá do século 18, repleta de folclore indígena e negro. Conta-se que Catirina, grávida, sentiu desejo de comer a língua do boi mais precioso da fazenda onde trabalhava. Para satisfazer as vontades da amada, Pai Chico matou o boi – causando a ira de seu patrão. Mas, com ajuda de seres mitológicos, o boi ressuscitou, deixando todos felizes.

As celebrações de bumba meu boi se dividem nos dois principais arraiais da cidade: Ipem e Maria Aragão. Além de ver as apresentações, é uma ótima oportunidade para provar os quitutes locais: bolo de tapioca, tacacá e canjica (que lá é chamada de mingau de milho). A paçoca não vai fazer falta.

A encenação

Entender a encenação não é algo fácil para iniciantes. Começando pelos personagens presentes: Catirina, Pai Chico, o vaqueiro, seres mitológicos (como o caipora). Dependendo do sotaque (ou seja, estilo), há diferença nas danças, nas vestimentas, nos instrumentos musicais. Ao todo, são cinco sotaques: Zabumba, Orquestra, Costa de Mão, Matraca e Baixada.

Com sorte, você ainda pode ver alguma apresentação surpresa, extraoficial, no centro da cidade, encabeçada por grupos folclóricos locais. 

Aliás, é nas comunidades que se consegue ter noção da importância da cultura do boi para seus moradores. Visitamos o Boi da Floresta, no bairro Liberdade, onde a tradição é repassada de geração em geração. Deu até para aprender uns passinhos. 

Curiosidade: Além dos tradicionais santos juninos, São Luís homenageia São Marçal no dia 30. A celebração surgiu com uma antiga lei que proibia os grupos de bumba meu boi no centro da cidade – eles se reuniam no limite da entrada e faziam a própria festa.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários